Cerveja Artesanal Brasileira é Premiada no Uruguai ! - Por Aloizio Augusto

26.09.2014

 

Café, cacau e pimenta do reino verde, adicionados de forma harmônica e inovadora à bebida a partir de um processo de fabricação mundial padronizado, garante título inédito para cervejeiro nacional autodidata

 

O cervejeiro artesanal Aloizio Augusto de Souza Júnior, da cidade de Guaratinguetá, no interior de São Paulo, foi o único brasileiro premiado na primeira Copa Sul-Americana de Cervejeiros Caseiros, realizada em 16 e 17 de agosto deste ano, em Montevidéu, capital uruguaia.

 

 

O evento, organizado pelo Club de Cervejeiros Caseiros do Uruguai, teve juízes de Uruguai, Argentina. Chile, Brasil e Estados Unidos. A maioria deles foram “judges” ou “master judges”, avaliadores de mais alto nível formados pela conceituada Beer Judge Certification Program (BJCP), organização americana sem fins lucrativos, formada em 1985, para promover a alfabetização e ensino da apreciação da cerveja de verdadeira qualidade. Os juízes são treinados e especializados em um rígido método de degustação e avaliação de diversos estilos da bebida. Além deles, a Copa contou ainda com a participação de sommeliers de cervejas de várias outras partes do mundo.

 

 

Na disputa com centenas de concorrentes de vários países, Aloizio alcançou o segundo lugar da prova com seu rótulo batizado de “A1! Verd” - cerveja produzida no estilo “Robust Porter”, uma categoria padrão no universo da bebida. O estilo de uma cerveja é definido de acordo com vários fatores, que incluem sabor, ingredientes, aparência, método de produção, história e origem, entre outros.

 

O produto apresentado pelo cervejeiro do Brasil, além de cumprir à risca todas as regras ditadas pela BJCP, foi avaliado considerando-se também o uso criativo de adjuntos (substâncias) extras: café, cacau e pimenta do reino verde, todos plantados em casa, o que resultou na receita de sucesso do brasileiro na competição.Dessa forma, o cervejeiro vem buscando revolucionar os estilos tradicionais da bebida com toques adaptados de forma harmônica ao seu sabor tradicional. Foi desse modo que o cervejeiro manteve-se fiel ao rigoroso estilo exigido pelos juízes da BJCP, porém fazendo uso inovador de plantios orgânicos próprios, alguns deles bem brasileiros.

 

 

“No desenvolvimento dessa Robust Porter vencedora, valorizei a principal característica do estilo, que é o café, e acrescentei pimenta do reino. Casou perfeitamente com o café. Você não sente o aroma da pimenta, mas percebe levemente a sensação na boca”, explica Aloizio.

 

Outra curiosidade do feito do brasileiro está na forma de explorar processos de produção totalmente caseiros. Método de trabalho desenvolvido pelo próprio Aloizio, que é cervejeiro de formação inteiramente autodidata, dedicado ao estudo pessoal e produção cervejeira doméstica há quatro anos.

 

Hoje, após o reconhecimento obtido especialmente pelo prêmio, outras boas oportunidades surgem para Aloizio no Brasil e no exterior. Entre elas, o convite do professor João B. Almeida, orientador do programa de doutorado em biotecnologia da Universidade de São Paulo (USP), para uso da Planta Piloto de Bebidas do Departamento de Biotecnologia, estrutura mantida pela instituição na cidade Lorena, no interior paulista. A cerveja premiada ficará à disposição dos estudantes que defendem teses na área e poderá ser usada para estudo de novos métodos e melhorias nos processos laboratórios acadêmicos.

 

 

Além de se dedicar à pesquisa, os projetos do cervejeiro incluem a fabricação comercial de seus rótulos. Um desses projetos tem início a partir de outubro, quando Aloizio volta ao Uruguai. O brasileiro foi convidado a produzir, de modo colaborativo, com a cervejaria local Cabecas Bier. A proposta inicial é ampliar o conceito de cerveja orgânica. A Cabecas Bier, localizada na região de Tacuarembó (centro-norte do país), opera uma fazenda de 100 alqueires, onde produz cevada orgânica e realiza todo o processo de malteação de seus produtos.

 

Aloizio defende que o movimento de incentivo mundial aos rótulos artesanais que vem sendo registrado nos últimos anos não se trata apenas de uma onda, mas algo duradouro. “É uma tendência que veio para ficar e os brasileiros não podem perder a oportunidade de participar disso”, defende.

 

Aloizio Augusto

É Masterbrewer na A1 Craft Brewery.

Please reload

Inscreva-se no mailing do grupo ! :-)

Posts em Destaque

Melhores de 2014 : Cerveja Artesanal São Paulo

05.12.2014

1/10
Please reload

Posts Recentes